Representação Ideológica e Pluridiscursividade em Memorial do Convento

Autores

Palavras-chave:

História, Ficção, Romance, Ideologia, Saramago

Resumo

Se a História e o romance têm como precente comum as narrativas épicas clássicas e medievais, os seus objetivos foram-se claramente distanciando e especializando. Sem deixar de procurar, tanto quanto é possível, o apuramento da verdade factual, a Nova História, que se afirmou em França na década de 70 do século passado, reconheceu a existência de uma forte componente subjetiva no trabalho do historiador e ampliou o alcance do objeto de investigação, que deixou de circunscrever-se aos grandes protagonistas e aos grandes acontecimentos epocais. De idêntico modo, o autor de Memorial do Convento revisita o passado através do olhar da gente comum, dando (outrora agora) voz a quem não teve voz e devolvendo, ficcionalmente, a história aos seus verdadeiros agentes

Biografia do Autor

António Apolinário Lourenço, Universidade de Coimbra

Univ. Coimbra, CLP, FLUC. Doutor em Letras, especialidade de Literatura Comparada. Professor de literatura na Universidade de Coimbra. Principais temas de investigação: literatura espanhola do Século de Ouro; literatura moderna e contemporânea espanhola e portuguesa. É membro do Centro de Literatura Portuguesa, da Universidade de Coimbra.

Downloads

Publicado

2022-05-05