À procura dos homens imaginários

O transiberismo de José Saramago

Autores

Palavras-chave:

Transiberismo, Literatura Portuguesa, A Jangada de Pedra

Resumo

No seu percurso enquanto escritor, José Saramago viu-se enredado em algumas controvérsias, sempre baseadas num seu juízo acerca de dado assunto, comumente contrário às ideias vigentes numa significativa parte da sociedade. Um destes exemplos é, exatamente, a sua postura iberista, ou, mais acertadamente, o seu conceito de transiberismo. Neste artigo pretende-se sistematizar o posicionamento de José Saramago, notando de que modo difere do(s) iberismo(s). Nesse sentido, procurar-se-á sintetizar a tradição iberista que o precedeu, fundamentalmente no que à Literatura Portuguesa diz respeito. Para melhor compreender o transiberismo saramaguiano serão analisadas as reflexões do autor patentes em várias entrevistas, ensaios e discursos, assim como – e ainda que superficialmente - o seu romance A Jangada de Pedra, o qual se constitui como uma das fontes mais valiosas para compreender a sua proposta.

Biografia do Autor

Raquel Lopes Sabino, Instituto de Estudos de Literatura e Tradição - Universidade Nova de Lisboa

Mestre em Psicologia da Educação e mestranda em Criações Literárias Contemporâneas na Universidade de Évora. Integra, como bolseira de investigação, o projeto Escritoras de língua portuguesa no tempo da Ditadura Militar e do Estado Novo em Portugal, África, Ásia e países de emigração (IELT.NOVA, CICS.NOVA/Faces de Eva e CRILUS/UR Études Romanes – Université Paris Nanterre). Estuda a obra de Maria Judite de Carvalho, tendo igualmente interesse na investigação sobre a literatura de autoria feminina do século XX. Interessa-se igualmente pela obra de José Saramago, tendo apresentado comunicações e publicado artigos a esse respeito nos últimos anos.

Downloads

Publicado

2022-05-05