Fernando de Azevedo e o conceito de laicidade no debate da educação pública brasileira

Autores

Palavras-chave:

Intelectuais, Fernando de Azevedo, Conceitos, Educação Pública, Laicidade

Resumo

Este artigo objetiva analisar o conceito de laicidade em Fernando de Azevedo à luz das obras clássicas do autor, especialmente A cultura brasileira, Educação entre dois mundos, Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, Novos caminhos e novos fins e as correspondências trocadas entre Fernando de Azevedo e os demais intelectuais do movimento da Escola Nova, nas décadas 1920 e 1930. O estudo pauta-se pela História dos Conceitos de Reinhart Koselleck, abordagem que busca analisar a semântica dos conceitos relevantes do ponto de vista social e político a partir dos intérpretes que se dedicaram aos seus significados. Assim, afirma-se que Azevedo defendia a laicidade como princípio da educação pública, tendo em vista o respeito à diversidade religiosa, demarcando embates e oposição aos intelectuais da Igreja Católica.

Biografia do Autor

Breno Pereira Machado, Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG)

Possui graduação em Pedagogia (2015) e mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (2018). Atualmente, é doutorando em Educação (UEPG) e professor da rede pública da Secretaria Municipal de Castro/PR, nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Dedica-se as seguintes temáticas de estudo e pesquisa: história da educação, educação pública, escola pública, intelectuais e laicidade. Participa do grupo de pesquisa: Intelectuais, História e Educação no Brasil nos contextos brasileiro e internacional.

Downloads

Publicado

2022-07-01

Edição

Seção

Artigos