Feminismos e empoderamento no jornalismo

Análise discursiva de matérias publicadas entre 1978 e 2018 em O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo

Autores

Palavras-chave:

Feminismos midiáticos, jornalismo de referência, Análise do discurso, empoderamento

Resumo

Nos últimos anos, assistimos ao crescimento da visibilidade conferida a sentidos de feminismo na cultura midiática. É neste contexto que se coloca o objeto em foco neste artigo, que investiga, a partir de aportes da Análise do Discurso, os tensionamentos e negociações semânticas que caracterizam a formação de enunciados de jornais brasileiros de referência sobre questões femininas e feministas entre 1978 e 2018. Partindo de um corpus de 314 matérias, o trabalho identifica três momentos representativos dos modos de articulação discursiva predominantes nos textos. Além disso, localiza, na década de 2010, a conformação de uma posição enunciativa ligada a uma ideia de “empoderamento individual”, para a qual se mostra decisiva a influência exercida por restrições semânticas próprias de uma discursividade neoliberal.

Biografia do Autor

Nara Lya Cabral Scabin, Universidade Anhembi Morumbi - Programa de Pós-Graduação em Comunicação

Docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi (PPGCOM-UAM). É doutora e mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela mesma instituição. Atualmente, desenvolve pesquisa de pós-doutoramento junto ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Práticas de Consumo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-SP). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8600661274396116.  ORCID: https://orcid.org/0000-0002-7121-1142. Email: naralyacabral@yahoo.com.br.

Downloads

Publicado

2021-07-01

Edição

Seção

Artigos