Representações sociais de inovação por estudantes da área de economia criativa

Autores

Palavras-chave:

Estudantes universitários, Economia criativa, Inovação

Resumo

O termo inovação se insere no meio científico na segunda década do século 19. Mesmo assim, o percurso da inovação no ensino superior na área da economia criativa ainda é pouco explorado pelas pesquisas. Indica-se pouca articulação entre as universidades brasileiras e as empresas do setor, para a geração de inovações. O objetivo da pesquisa foi compreender as representações sociais de inovação por estudantes da área da economia criativa, identificando os processos de objetivação e ancoragem. A Teoria das Representações Sociais, alinhada à abordagem processual, mostrou-se como o referencial teórico metodológico mais adequado. Participaram desse estudo 40 universitários. Como técnica de coleta foram utilizadas entrevistas semiestruturadas e questionários, os dados foram analisados de acordo com a análise de conteúdo. Os resultados indicam que as representações se objetivam em “atualização”, “novidade”, “invenção”, “criatividade” e “melhoria”. Essas representações estão ancoradas em “resolução de problemas”. Conclui-se que as representações sociais de inovação por estudantes da área da economia criativa refletem as teorias sobre inovação, o que indica que elas são construídas logo na formação superior inicial desses estudantes. A criatividade e a inovação, juntas, podem ajudar a superar os desafios que o contexto atual apresenta aos estudantes e trabalhadores da indústria criativa.

Biografia do Autor

Silvio Duarte Domingos, Universidade Estácio de Sá

Doutorado em Educação

Downloads

Publicado

2021-01-01

Edição

Seção

Artigos