A segunda morte de Marielle e a segunda vida do acontecimento

O poder hermenêutico de um acontecimento necropolítico e interseccional no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Acontecimento, Imagens de controle, Interseccionalidade, Marielle Franco, Necropolítica

Resumo

O presente artigo se propõe a entender o potencial de um acontecimento necropolítico e interseccional para revelar as questões raciais e de gênero no Brasil, a partir da apreensão dos significados e dos sentidos presentes nas postagens póstumas e difamatórias sobre a vereadora Marielle Franco. Para tanto, construímos um referencial teórico em torno da articulação dos conceitos de acontecimento, necropolítica e interseccionalidade. Para fins metodológicos, o corpus está ancorado nas postagens difamatórias que foram exibidas na edição de 18 de março de 2018 do programa televisivo Fantástico. A partir da nossa grade analítica, concluímos que o vilipêndio à memória de Marielle Franco compõe um quadro que remonta ao mito da democracia racial e as políticas de embranquecimento da população brasileira. 

Biografia do Autor

Pamela Guimaraes-Silva, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestra e doutoranda no Programa de Pós-graduação em Comunicação Social, da Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCOM/UFMG). E-mail: pamelaguimaraes14@gmail.com

Olívia Pilar, Universidade Federal de Minas Gerais

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, da Universidade Federal de Minas Gerais (PPGCOM/UFMG). Especialista em Marketing Digital pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG). O presente trabalho foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES) – Código de Financiamento 001. E-mail: oliviapilarsouza@gmail.com

Downloads

Publicado

2021-01-01

Edição

Seção

Artigos