Significações de professores gays sobre violências homofóbicas e suas formas de enfrentamento na escola.

Autores

Palavras-chave:

Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade na Escola, Heteronormatividade, População LGBTT, Práticas Educativas e Gênero

Resumo

O texto discute o acossamento sofrido por professores autodeclarados gays no que diz respeito a gênero, orientação sexual e identidade de gênero. Nos últimos anos, temos acompanhado os esforços que educadores, pesquisadores, militantes de direitos humanos têm empreendido para implementar políticas educacionais e reorientar práticas escolares coerentes com o reconhecimento da diversidade humana e a partir do enfrentamento de todas as formas de preconceito e discriminação. Com o objetivo de analisar as significações de professores gays ante aos discursos de ódio, violência e heteronormatividade (re)produzidos na e pela escola, buscamos amparo em núcleos de significação. No presente artigo, apresentamos dois núcleos: o primeiro apresenta o conservadorismo e a produção de violências homofóbicas praticadas contra os participantes do estudo e o segundo discute o enfrentamento às violências sofridas na escola, como professores. Os resultados apontaram que é imprescindível promover debates sobre gênero e sexualidade na escola, mas que também é fundamental discutir os desafios de estar e ensinar na escola, para as pessoas LBGTT. O estudo aponta que  o professor, ao assumir uma perspectiva crítica e libertadora, voltada para a construção de práticas que eliminem as violências, sofrimentos e exclusão da vida em sociedade, pode contribuir para a construção de estratégias para combater a violência e ressignificar pensamentos e práticas heteronormativas dominantes.

Biografia do Autor

Rodrigo Toledo, Universidade Municipal de São Caetano do Sul

Psicólogo Escolar, Doutor em Educação: Psicologia da Educação e Mestre em Educação. Atua Supervisor de Estágio e Docente nas áreas da Psicologia Escolar, Políticas Públicas de Educação e Saúde na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e na Universidade Paulista (UNIP). É coordenador do Laboratório de Práticas Educativas e Comunitárias (LAPEC) da USCS. Pesquisador dos grupos “Dimensão Subjetiva da Desigualdade Social e suas diversas expressões” e “GECOMP - Escola, Comunidade e Políticas Públicas”. Especializou-se em temáticas de enfrentamento à desigualdade social e no atendimento da população LGBT em contextos educativos e comunitários. É conselheiro do XVI Plenário do Conselho Regional de Psicologia de São Paulo e atua como membro da Comissão de Ética e no Núcleo de Sexualidade e Gênero. Email: toledordg@gmail.com

Downloads

Publicado

2021-01-01

Edição

Seção

Artigos